AÇÕES DE MARKETING

Farmácia aplica avaliação interdisciplinar e cria ferramenta para avaliar o processo ensino-aprendizagem

Avaliação Institucional Farmacêutica (AIF) tem por objetivo a integralização de todas as disciplinas cursadas pelos acadêmicos

por Daniel Torres de Albuquerque




image

Farmácia aplica avaliação interdisciplinar e cria ferramenta para avaliar o processo ensino-aprendizagem
Foto de Reprodução da internet

O curso de Bacharelado em Farmácia do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI) realizou nesta terça-feira, 22, a primeira Avaliação Institucional Farmacêutica (AIF). Essa avaliação tem por objetivo a integralização de todas as disciplinas cursadas pelos acadêmicos evidenciando a interdisciplinaridade no processo ensino-aprendizagem.

A avaliação, dependendo do termo em que o aluno está matriculado, é composta por questões de múltiplas escolhas desenvolvidas por meio da Taxonomia de Bloom, a mesma utilizada para a elaboração do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), do termo de matrícula do aluno e dos termos cursados anteriores ao semestre atual. Nesse sentido, um aluno matriculado no 9º termo realizará a avaliação contendo questões do 1º, 3º, 5º, 7º e 9º termos, por exemplo.

Segundo o coordenador do curso, Prof. Dr. Bruno Ambrósio da Rocha, desenvolvedor da ideia e aprovada pelos docentes e acadêmicos do curso, a AIF permitirá avaliar o processo ensino-aprendizagem, defasagens de aprendizado (vertente de amplo impacto no contexto pandêmico) e a correlação interdisciplinar do curso (pilar de sustentação). “Adicionalmente, destaca-se que mesma pautará estratégias a serem desenvolvidas pela coordenação, núcleo docente estruturante, colegiado de curso, docentes e alunos, de reforço acadêmico; de minicursos/workshop e/ou intensivos de estudos objetivando zelar pelo aperfeiçoamento e qualidade da formação farmacêutica”, explicou.

O aluno Maurício Nagatani, do 9º termo, destacou o seu contentamento com o curso de Farmácia ao dizer que “as inovações e as adequações perante o curso são de extrema importância para o futuro da formação acadêmica”. Ele salientou ainda que “esse tipo de avaliação faz com que podemos revelar o grau de ensino e quais meios devem ser seguidos para atingir a qualidade deseja do curso”.

“Esta avaliação é um marco diferenciador do curso de Farmácia do Centro Universitário de Adamantina permitindo a visualização da integração disciplinar desde o ciclo básico até ao ciclo farmacêutico de formação do profissional farmacêutico”, emendou o Prof. Dr. Bruno da Rocha. O coordenador do curso pontuou ainda que a avaliação também possibilita uma autoanálise quando ao processo de aprendizagem durante a formação farmacêutica, possibilitando uma comunicação/interação cada vez mais direta entre os envolvidos voltadas para a melhora crescente do curso.

“A Avaliação Institucional Farmacêutica é uma forma de garantir o acompanhamento da evolução do aluno, assim como estimular o estudo e atualizações constantes não apenas dos conteúdos atuais, como também do que foi visto em anos anteriores”, disse a Prof.ª Dra. Mayra de Almeida Paio, docente do 3º e do 7º termos). Ela ainda enfatizou que a avaliação “além de um instrumento que prepara o aluno para o Enade e o mercado de trabalho, também é possível destacar que irá auxiliar na formação de uma visão integrada do curso de Farmácia como um todo, e não desmembrado nas diversas disciplinas”.

Avaliação Enade do curso de Farmácia

A última avaliação do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, realizada em 2019, atribui conceito 3 ao curso de Farmácia da UniFAI. Essa avaliação pontua as instituições com conceitos entre 1 e 5, sendo 1 um curso de qualidade ruim/insatisfatório e 5 um curso de qualidade excelente.

Ao mesmo tempo, a presenta avaliação conceitua a formação social/humanística e a formação profissional dos acadêmicos e, neste contexto, o curso de Farmácia da UniFAI conquistou conceito semelhante à média estadual e federal dos cursos de Farmácia existentes.

No entanto, a coordenação, o núcleo docente estruturante, os docentes e os alunos sabem que a qualidade do curso pode melhorar cada dia mais e, diante dessa prerrogativa, estão desenvolvendo ferramentas metodológicas para garantir a qualidade da formação Farmacêutica nesta Instituição de Ensino Superior.

“Dentre essas ferramentas metodológicas, a AIF marca o início de uma dessas propostas pois, por meio dela, diversas atitudes poderão ser desenvolvidas voltadas única e exclusivamente para a qualidade da formação dos nossos alunos”, concluiu o Prof. Dr. Bruno da Rocha.

Voltar ao TOPO