NOTÍCIAS

Avaliação e autoria são temas abordados em artigo publicado em revista de ensino

Licenciandos do curso de Geografia da UniFAI desenvolveram atividades avaliativas em cooperação e com suportes tecnológicos, aplicando conceitos básicos para edição especial do Jornalzinho na Escola

por Daniel Torres de Albuquerque




image

Licenciandos do curso de Geografia da UniFAI desenvolveram atividades avaliativas em cooperação e com suportes tecnológicos, aplicando conceitos básicos para edição especial do Jornalzinho na Escola
Foto de Prof.ª Dra. Izabel Castanha Gil

Focado na temática da avaliação e da autoria em disciplinas não pedagógicas dos cursos de Geografia e de História do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI), acaba de ser publicado um relato de experiência de autoria da Prof.ª Dra. Izabel Castanha Gil, docente da Instituição, na edição nº 10 da revista Ensino de Geografia, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Minas Gerais.

Os cursos de licenciatura dedicam-se à formação de professores e, como tal, os graduandos devem vivenciar as várias dimensões da profissão que escolheram. Assim, as disciplinas específicas dedicam-se à ampliação e aprofundamento dos seus conhecimentos, tornando-os especialistas, enquanto as disciplinas pedagógicas constroem os fundamentos e proporcionam a vivência das práticas docentes que desenvolverão.

Na sala de aula, no entanto, o professor da Educação Básica não deve separar o que e o como ensinar. "O licenciando, então, deve vivenciar situações reais de aprendizagem e isso pode ocorrer de diferentes maneiras, inclusive durante a realização das avaliações, um dos mais delicados componentes do processo de ensino e aprendizagem. Outro aspecto refere-se à autoria: a Educação Básica caracteriza-se mais como reprodutora do que como criadora de conhecimento. Poucos professores exercitam a autoria, mesmo diante de tanta criatividade que pode caracterizar o seu fazer pedagógico", explicou a docente.

Unindo conhecimento específico e técnicas didáticas, Izabel Gil procurou, sempre que possível, criar avaliações não convencionais, aproveitando o momento tenso de uma prova, porém rico em concentração e de conhecimento (porque o aluno estudou previamente), para que aplique os conceitos em situações criativas de aprendizagem e de autoria. "Algumas dessas avaliações acontecem em grupo e com o uso das ferramentas tecnológicas disponíveis, ampliando as oportunidades de aprendizado e de criação", detalhou ela.

O relato de experiência publicado traz algumas avaliações aplicadas nas disciplinas de Geografia do Brasil, Biogeografia, Geografia Física e Geografia Econômica, em 2016 e 2017, e convida professores e licenciandos para uma reflexão acerca de temáticas centrais na docência: a avaliação e a autoria.

A Revista Ensino de Geografia "é uma publicação do Laboratório de Ensino de Geografia do IG-UFU, editada no formato eletrônico e com periodicidade semestral", segundo informa o site da Instituição. Ela disponibiliza preciosa oportunidade para que professores e estudiosos da ciência geográfica possam manifestar o seu pensamento, suscitar debates e registrar as suas práticas.

O artigo produzido pela integrante da UniFAI pode ser acessado aqui.

Voltar ao TOPO