NOTÍCIAS

Psicologia debate agravo da saúde mental em tempos de quarentena durante encontro virtual

Evento celebrou, em 18 de maio, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial e Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

por Daniel Torres de Albuquerque




image

Psicologia da UniFAI debate agravo da saúde mental em tempos de quarentena durante encontro virtual; evento celebrou, em 18 de maio, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial e o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Foto de Arquivo Pessoal

Mantendo a tradição do curso, a Psicologia do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI) celebrou na última segunda-feira, 18 de maio, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, por meio de um debate virtual que envolveu docentes e alunos de todas as turmas dessa graduação e alguns alunos egressos.

O evento foi realizado no ambiente virtual do programa Google Meet, que tem garantido a interação da comunidade acadêmica durante a suspensão das aulas presenciais em razão das medidas de distanciamento social a fim de conter o avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

"[No debate] mencionamos a trajetória da luta antimanicomial, que teve início em 1987, buscando realizar uma discussão do confinamento e da privação que pacientes psiquiátricos sofreram e o fato de que algumas pessoas agora estariam passando por intenso sofrimento pelas multifacetadas violências domésticas ou no trabalho em tempos de Covid-19", salientou a Prof.ª Ma. Magda Arlete Vieira Cardozo, coordenadora do curso e palestrante do tema "Metáfora do enclausuramento: do confinamento institucional ao confinamento domiciliar em tempos da Covid-19".

Além de Magda Cardozo, também participaram como palestrantes as docentes Prof.ª Ma. Andrea Fernandes de Araújo Gasques, que falou sobre "A escuta clínica e a Covid-19"; Prof.ª Dra. Fúlvia de Souza Veronez, que abordou a "Atenção emergencial nos casos psiquiátricos"; e Prof.ª Ma. Evelyn Yamashita Biasi, acerca da "Saúde mental: do cuidado com paciente ao cuidado com o profissional de saúde".

Como em 18 de maio também se celebra o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, o tema foi outro foco das discussões. "Sabe-se que o índice de violência doméstica tem aumentado e, com ele, vem a preocupação com as crianças que não têm ido para a escola ou mantido outros laços sociais, sem estarem assistidas de forma alguma, se tiverem na família algum abusador", relatou a coordenadora do curso.

O adoecimento das pessoas no ambiente de trabalho e o atendimento dos pacientes psiquiátricos nos hospitais foram um terceiro ponto abordado pelo grupo. "Tentamos ampliar as discussões, sempre fazendo um paralelo com a saúde mental de pacientes psiquiátricos, mas, também pensando no agravo da saúde da comunidade como um todo neste momento de Covid-19", completou Magda Cardozo.

O curso

O psicólogo estuda os fenômenos psíquicos e de comportamento do ser humano por intermédio da análise de suas emoções, suas ideias e seus valores. Ele diagnostica, previne e trata doenças mentais, distúrbios emocionais e de personalidade.

Esse profissional observa e analisa as atitudes, os sentimentos e os mecanismos mentais do paciente e procura ajudá-lo a identificar as causas dos problemas e a rever comportamentos inadequados, podendo atuar em empresas privadas, órgãos públicos, escolas, clínicas e ambientes hospitalares.

O curso de Psicologia da UniFAI tem aulas presenciais no Câmpus II (avenida Francisco Bellusci, 1.000), com duração de oito semestres (quatro anos), no período integral e de dez semestres (cinco anos) no período noturno.

Os estudantes contam com laboratório de Psicologia Experimental devidamente equipado para que sejam desenvolvidos temas de neurociências e comportamento; e o Núcleo de Psicologia, que acompanha e regulamenta todos os estágios realizados em Adamantina e região, além de comportar a Clínica-Escola, na qual os alunos oferecem atendimento psicoterápico à comunidade.

Voltar ao TOPO