NOTÍCIAS

UniFAI forma a primeira turma de Medicina

Cerimônia, realizada de maneira semipresencial no Auditório Miguel Reale e transmitida ao vivo pelos canais da Instituição no YouTube e Facebook, foi restrita devido à pandemia

por Daniel Torres de Albuquerque




imageimageimageimageimage

Cerimônia, realizada de maneira semipresencial no Auditório Miguel Reale e transmitida ao vivo pelos canais da Instituição no YouTube e Facebook, foi restrita devido à pandemia
Foto de Kaison Wembley

Esta terça-feira, 29 de junho, foi um dia histórico para o Centro Universitário de Adamantina (UniFAI): a Colação de Grau da primeira turma (T1) do curso de Medicina.

A cerimônia, realizada de maneira semipresencial no Auditório Miguel Reale, no Câmpus II, e transmitida pelos canais da Instituição no YouTube e Facebook, foi limitada aos 57 formandos, a alguns poucos convidados e a autoridades acadêmicas e políticas locais devido às restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Nossa turma é única, temos integrantes de cada canto desse país: Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul. A mistura de culturas, sentimentos e vivências foi enorme e, mesmo tão longe de casa, cada um tem sua marca na construção da nossa história”, pontuou Isadora Siqueira Ribeiro Maioli.

Os formandos escolheram como Nome de Turma o docente Prof. Me. César Antônio Franco Marinho, como Patrono o Prof. Esp. Anderson Azevedo Dutra e como Paraninfo o Prof. Dr. Gustavo Navarro Betônico.

Entre os homenageados pelos alunos, estiveram o coordenador do curso Prof. Dr. Miguel Ângelo de Marchi e os docentes Prof. Me. Antonio Carlos Heider Mariotti, Prof.ª Dra. Carolina de Castro Rocha Betônico, Prof.ª Ma. Mariana Alvares Penha, Prof. Esp. Rogério Ivan Borghesi Bravo e o Prof. Dr. Rafael Saad.

Compuseram a mesa se autoridades o reitor da UniFAI, Prof. Dr. Paulo Sergio da Silva, o vice-reitor Prof. Dr. Fábio Alexandre Guimarães Botteon e o pró-reitor de Ensino Prof. Dr. Delcio Cardim. O secretário municipal de Saúde, Gustavo Taniguchi Rufino, representou o prefeito Márcio Cardim (DEM) e o presidente da Câmara Municipal de Adamantina, vereador Paulo César Cervelheira de Oliveira (PV), representou o Poder Legislativo adamantinense.

A cerimônia de Colação de Grau marca o encerramento das atividades acadêmicas da turma e o início da vida profissional dos agora ex-alunos como médicos. “Hoje é um dia muito feliz para todos nós, finalmente somos médicos. Conseguimos! Mas, ao mesmo tempo, também vai ser um dia difícil, um dia de muita saudade, dos amigos que fizemos, das histórias e tantas risadas que compartilhamos. Hoje, com certeza saímos daqui melhores do que entramos, deixando um pouquinho de nós e levando um pouquinho de cada um que cruzou nosso caminho”, destacou a agora médica Isadora Maioli.

Os alunos da T1 cumpriram inicialmente as atividades do Internato na Rede Municipal de Saúde de Adamantina e em Mariápolis nos últimos seis meses nas Unidades Básicas de Saúde, Centro de Saúde I, ESF [Estratégia de Saúde da Família] Jardim Adamantina, ESF Cecap, UBS [Unidade Básica de Saúde] de Mariápolis, no CIS [Centro Integrado de Saúde, no prédio que seria destinado à UPA], onde há atendimento em Ortopedia, Oftalmologia, Neurologia, Dermatologia, Cardiologia, Moléstias Infecciosas, Otorrinolaringologia, Cabeça e Pescoço e Pneumologia. E, na Santa Casa de Adamantina, os internos viram as especialidades de Traumatologia, Cardiologia, Clínica Cirúrgica, Cirurgia Plástica, Pré-anestésico, Clínica Médica, Urologia, Endocrinologia, Enfermarias e Pronto Atendimento. “Conhecemos cada um dos postinhos da cidade, encontramos não só pacientes, mas vidas, famílias, e amigos para levar no coração”, disse Murieli Fonsati Mázzaro.

O período do Programa de Internato dos alunos da T1 teve início em 6 de janeiro de 2020 na Santa Casa de Araçatuba. Durante 18 meses os graduandos receberam ensino didático e prático em Saúde Coletiva, Clínica Médica, Cirurgia Geral com Ortopedia, Ginecologia e Obstetrícia e Pediatria, especialidades básicas da Medicina. “O nosso Internato se iniciou no primeiro meio ano em Adamantina com o Internato de Saúde Básica e foi muito proveitoso para nós e agora estamos muito felizes em poder estar em Araçatuba, neste que é um hospital de referência”, comemorou Murieli na época.

Segundo ela, a cada rodagem de estágios os alunos se deparavam com um desafio diferente. “Para os futuros cirurgiões, deliciosas horas contínuas de cirurgias, não tão prazerosas assim para os clínicos. Enfermarias, UTIs, GO [Ginecologia e Obstetrícia], Pediatria, a saudável briga para fazer os procedimentos... quanto aprendizado! Estávamos finalmente nos tornando médicos, com todas as sensações à flor da pele”, lembrou Murieli durante o seu discurso como uma das oradoras da turma na cerimônia de Colação de Grau.

“A vida é curta, mas nos deu tempo de realizar o nosso maior sonho. Que nós possamos sempre nos lembrar do primeiro amor pela medicina, o frio na barriga dos primeiros atendimentos, o ânimo de ir a fundo em cada caso atendido, mas principalmente, que sempre possamos cuidar com carinho e amor daqueles que mais precisam”, completou.

Histórico

O Conselho Estadual de Educação de São Paulo (CEE-SP) aprovou na tarde do dia 25 de fevereiro de 2015 a instalação do curso de Medicina nas então Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI).

O primeiro Vestibular de Medicina da UniFAI foi aplicado em parceria com a Fundação Vunesp em 27 de junho de 2015 e as aulas da primeira turma tiveram início em 3 de agosto do mesmo ano.

Durante os anos de 2011 e 2012, a direção da então FAI iniciou estudos de viabilidade para implantação do curso de Medicina na Instituição. “Foram muitas reuniões, pesquisas e leituras sobre o assunto, além do levantamento das necessidades da região na área de Saúde. As diretrizes curriculares para o curso de Medicina em 2011 não eram totalmente favoráveis à implantação do curso na época. Porém, com o surgimento do Programa Mais Médicos, do Governo Federal, e da formatação das novas diretrizes elaboradas pelo Conselho Nacional de Educação para a criação de novos cursos de Medicina, tivemos a convicção de que a FAI se enquadrava neste novo formato de curso e que os estágios e internato poderiam perfeitamente ser desenvolvidos nas unidades básicas de saúde e nos hospitais de nossa região. Assim, a partir do segundo semestre de 2012, demos início a um trabalho direcionado ao levantamento de informações que pudessem subsidiar a construção de um projeto pedagógico para o curso de Medicina da FAI", resumiu na época o então diretor geral da FAI, Prof. Dr. Márcio Cardim.

Em 2013 a Congregação da FAI atestou a importância do curso de Medicina e a direção nomeou uma comissão que passaria a realizar um estudo detalhado das necessidades e viabilidade concreta do curso. A Comissão foi composta pelos docentes Prof. Me. César Marinho, Prof.ª Ma. Ana Vitória Salimon Carlos dos Santos, Prof. Me. José Pedro Forghieri Ruete, Prof.ª Dra. Marisa Furtado Mozini Cardim, Prof. Esp. Osmar de Oliveira Ramos e Prof. Dr. Wendel Cleber Soares. Também integraram a equipe o Prof. Esp. Miguel Ramalho Boiça e a Prof.ª Esp. Sueli Aparecida Rombaldi da Cunha.

A FAI contou com a colaboração da pesquisadora Prof.ª Dra. Ivete Dalben (falecida em agosto de 2014), então professora de Epidemiologia da Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Botucatu, para a elaboração do projeto pedagógico do curso ao lado da Prof.ª Dra. Marisa Cardim, integrante da Comissão de Professores pró-Medicina da FAI.

Além disso, na época, a Instituição procurou as prefeituras de Adamantina e municípios vizinhos a fim de firmar convênios com estruturas da área de Saúde para o internato dos universitários, sendo, inclusive, assinados termos de compromisso entre a instituição e esses municípios.

Atualmente, o curso de Medicina da UniFAI conta com aproximadamente 600 alunos.

Vestibular de Medicina 2022

O Vestibular de Medicina – Reserva de Vagas – para ingresso no primeiro semestre do Ano Letivo 2022 será aplicado no próximo dia 11 de julho, um domingo, novamente em parceria com a Fundação Vunesp. As inscrições se encerraram no último dia 17 de junho.

As provas serão realizadas em fase única na cidade de Adamantina, no dia 11 de julho, um domingo, das 13h às 17h30 no Câmpus II (avenida Francisco Bellusci, 1.000). Ao todo, serão 50 vagas disponíveis para o curso de Medicina.

Os resultados serão divulgados nos sites da Vunesp e da UniFAI no dia 3 de agosto.

O Vestibular de Medicina 2022 – Reserva de Vagas – contará com uma prova de Conhecimentos Gerais com 60 questões de múltipla escolha uma Redação que equivale a um total de 20 pontos.

Os candidatos convocados em primeira chamada deverão realizar matrícula nos dias 4, 5 e 6 de agosto, das 8h às 12h e das 13h às 17 horas, na Secretaria do Câmpus I (rua Nove de Julho, 730).

Havendo vagas, outras convocações serão realizadas pela Instituição, obedecendo à ordem de classificação final dos candidatos.

Voltar ao TOPO