NOTÍCIAS

Músicas regionais nas ondas da Rádio Cultura

Programa Latitude 21, com artistas regionais, estreou na última segunda-feira, às 13 horas

por Daniel Torres de Albuquerque




image

Programa Latitude 21, com artistas regionais, estreou na última segunda-feira, às 13 horas
Foto de Divulgação

Foi ao ar na última segunda-feira, 9, às 13 horas, pela Rádio Cultura FM (99,3 Mhz), a primeira edição do programa Latitude 21. A apresentação é da cantora e compositora Cida Ajala. Para ouvi-lo, acesse o site da Rádio Cultura. O programa será reprisado às quartas-feiras, a partir das 20 horas.

Seguindo o slogan “uma opção diferente no ar”, o programa faz parte de um novo momento da Rádio Cultura, que se abre para a comunidade interna e externa, levando informação e entretenimento a um público exigente e diversificado.

O programa Latitude 21 nasce de um movimento cultural inédito na Nova Alta Paulista. Seu propósito é representar as identidades regionais por meio de diferentes linguagens, em especial a literatura e a música. “Em 2019, criamos a 1ª Antologia de Contos, Poemas e Crônicas Regionais, reunindo 85 obras de 55 escritores de dez cidades e de dois países. Algumas dessas pessoas já tinham experiência com publicação literária, porém, para a maior parte, tratava-se de sua primeira publicação”, contou a Prof.ª Dra. Izabel Castanha Gil, integrante do projeto Latitude 21.

Segundo ela, escritores variando entre 18 e 93 anos de idade registraram suas memórias, contando parte de suas histórias pessoais, enaltecendo personagens, paisagens e fatos locais e regionais relevantes, sob a sua perspectiva. “Contamos com o apoio das secretarias municipais de Cultura das cidades da Nova Alta Paulista e da Biblioteca Ativa da Escola Técnica (Etec) Prof. Eudécio Luiz Vicente, de Adamantina, para a divulgação do projeto, efetivação das inscrições e para o lançamento da obra, que foi custeada com investimentos dos próprios escritores”, continuou.

Em 2020, a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) interrompeu esse fluxo em construção, induzindo a outra forma de expressão cultural: a música. Nasceu então a parceria com Cida Ajala, cantora e compositora de Presidente Prudente, por meio do seu projeto Musicando Sua Poesia. Vários poemas publicados na 1ª antologia foram musicados, assim como de outros escritores letristas que aderiram ao movimento. O maestro Anselmo Ferreira criou os arranjos e os músicos Derlis Fernandes e Emerson Barbosa acompanharam a cantora.

Em dezembro de 2020, foi lançado o 1º Álbum Musical Regional Latitude 21, reunindo 20 músicas de 13 letristas de dez cidades da Nova Alta Paulista. A gravação ocorreu com investimentos dos próprios escritores. O álbum está disponível em várias plataformas internacionais e você pode acessá-lo pelo Spotify.

“Em dezembro de 2021, também com investimento dos escritores, criamos o 2º Álbum Musical Regional Latitude 21. O lançamento ocorreu em Adamantina, numa promoção da Secretaria de Cultura e Turismo de Adamantina e apoio cultural da Etec Prof. Eudécio Luiz Vicente e da Rede de Educação Ambiental da Alta Paulista (REAP). Tanto no primeiro quanto no segundo álbum musical, tivemos a participação do padre Domingos de Jesus, com criações e interpretações autorais. As músicas dos dois álbuns têm registros autorais e o 2º álbum está em fase de implantação nas plataformas internacionais”, relatou a professora Izabel.

Em 2022, o projeto continua com vigor e amplia seus horizontes. “Estamos em fase de regravação das obras em estúdio profissional. Kleberson Calanca, músico, está sistematizando o registro fonográfico das composições. Nossas músicas já estão na grade musical das rádios de algumas cidades da Nova Alta Paulista. Por meio de Cida Ajala, participamos de um programa semanal na TV Xanxerê, de Xanxerê (SC)”, revelou.

“Com muita satisfação, ganhamos o programa Latitude 21 na Rádio Cultura FM. Com ele, prevemos vários desdobramentos, além da divulgação das composições que retratam as nossas identidades. Queremos que essas músicas se tornem conhecidas e passem a fazer parte do cancioneiro popular local, regional e nacional. Queremos também que o movimento se amplie, trazendo novos talentos e novos estilos musicais. Outro propósito é compilar e caracterizar a literatura e a música regional, por meio de entrevistas e de outras iniciativas, contribuindo para que as novas gerações se identifiquem nessa história e que a Nova Alta Paulista se torne conhecida mundo afora”, concluiu.

Voltar ao TOPO