PROFISSIONAIS DA FAI

Primeira edição de 2012: Série “Profissionais FAI” traz a história de Silvana Geraldo

Auxiliar de limpeza atua há 17 anos na instituição

por Priscila Caldeira




image

Silvana Aparecida Zonzini Geraldo
Foto de Priscila Caldeira


“O que eu mais gosto, na verdade, é de poder dizer no final de um dia de trabalho cansativo que eu cumpri o meu dever”. Foi assim que a auxiliar de limpeza das Faculdades Adamantinenses Integradas, Silvana Aparecida Zonzini Geraldo, avaliou seu trabalho durante entrevista para a série “Profissionais FAI”.

Silvana atua na instituição desde 1995, quando foi aprovada em primeiro lugar no concurso da antiga FEO (Faculdade de Enfermagem e Obstetrícia de Adamantina).

A rotina da profissional começa com a limpeza das salas cujo funcionamento inicia mais cedo. Mas, o empenho no trabalho não é a única motivação de Silvana. Para ela, a oportunidade de fazer amigos e oferecer formação para as filhas são fatos que marcaram esses 17 anos de profissão.

“Eu pude dar formação para as minhas filhas. A Daniele é formada em Fisioterapia e a Gisele, em Psicologia. Lógico que eu entrei aqui para trabalhar, fazer minha função, mas também pensando em dar uma formação profissional para elas”, frisa.

Ela acredita que a instituição representa para os funcionários a chance de acesso ao ensino superior. “Os que estão empregados, eu acredito que deve ter representado para cada um a oportunidade de ter um estudo. Se cada família teve um integrante que fez uma faculdade, que teve o seu lado profissional concluído, já valeu a pena”.

Silvana conta que pretende cursar a graduação de Psicologia. “Acho que nunca é tarde. Agora está chegando meu momento e posso até pensar em fazer. Eu gosto de Psicologia, porque estuda as pessoas e comportamentos”, aponta.

Nas horas vagas, a funcionária tem o hábito da leitura e de assistir bons filmes. “Gosto de sair com meu marido, passearmos e curtir, porque precisa também”. Para os colegas de trabalho, ela aconselha: “Quero que eles vivam intensamente o dia de hoje porque o dia de amanhã a Deus pertence”.

Voltar ao TOPO